Florianópolis | 12/03/2019

Sindicato das transportadoras turísticas de Florianópolis alerta para circulação de veículos de fora sem autorização da prefeitura



A Comissão de Turismo e Assuntos Internacionais se reuniu para debater junto aos sindicatos dos guias e transportadoras os problemas enfrentados pela classe em Florianópolis. Um dos pontos abordados na reunião, foram os ônibus turísticos que vem de fora e continuam circulando pela Ilha, ao invés de deixarem os turistas no hotel e irem para os bolsões. Muitos viajantes já compram os pacotes em suas cidades, com transportes e guias.

O representante do Sindicato das Transportadoras Turísticas da Grande Florianópolis (SINTREGF), Sandro Mauricio Silveira afirmou que Florianópolis possui uma das melhores frotas do país, mas que falta a fiscalização para que os ônibus que vêm de fora não trabalhem aqui: “Já fizemos mais de 200 denúncias, mas nenhum veículo foi apreendido. Além de atrapalharem o trânsito na cidade, nossos carros e guias acabam não tendo com o que trabalhar”, afirma.

O presidente da Comissão, vereador Pedrão (PP), afirmou que o turismo em Florianópolis está com a geração de emprego e renda está prejudicada: “Precisamos seguir o exemplo de outras cidades brasileiras, que vendem além das belezas naturais, sua cultura, sua comida e sua arte, como é o caso de Salvador”, afirma. Também participou da reunião o vereador Fulvio Sant’Helena (PSB).

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade da Grande Florianópolis (SINTRATUH), Anesio Schneider, garante que se a Prefeitura fiscalizar, muitos empregos serão gerados, inclusive para os menores aprendizes: “Os guias locais são profundos conhecedores da Ilha, tem curso de inglês, espanhol e turismo, para atender da melhor forma. Enquanto não pudermos trabalhar, a cidade sai perdendo”.

Ao final da reunião foi feito o convite aos secretários de Turismo e Mobilidade da Capital para conversar sobre o turismo ecológico, o trânsito e o trabalho dos guias.