SC | 14/04/2020

Slunos recebem cartão-merenda e cestas básicas em casa



Com as escolas fechadas desde março, após o decreto de situação de emergência em Santa Catarina em função do novo coronavírus, estado e municípios adotam medidas para tentar não gerar insegurança alimentar às crianças que estudam na rede pública. Em alguns casos de famílias de baixa renda, a merenda da unidade de ensino chega a ser a única refeição adequada do dia para os estudantes. As aulas em todo o território catarinense estão suspensas pelo menos até 31 de maio.

Para tentar minimizar o problema, a prefeitura de Florianópolis criou o cartão-merenda para mais de 2,7 mil famílias cadastradas no Bolsa Família, que vão receber mensalmente R$ 100 do município enquanto as escolas e creches municipais ficarem fechadas. O valor, calculado com base na alimentação que os estudantes recebem na unidade de ensino, só pode ser investido em comida.

Conforme a Secretaria de Educação, também foram cadastradas sete mil famílias para receber cestas básicas, que estão em fase de entrega.

A pasta informou que cerca de 34 mil crianças estão matriculadas na rede municipal, mas que nem todas são consideradas carentes.

 

Na segunda etapa, vão receber os demais estudantes, com orientação para que os interessados preencham um formulário on-line que vai atender, de forma especial, os casos em que o aluno dispensa o kit e o transfere para que sejam doados aos colegas que precisam mais do que ele, por exemplo. Quem não preencher estará automaticamente incluído para receber.

O governo informou que a distribuição dos kits na escola será realizada por um servidor, com o controle de entrega pelo cartão do estudante ou por meio de documento assinado pelos familiares. A pasta da Educação disse também que, entre 16 e 18 de março, foram realizadas as doações para comunidades indígenas do que já havia em estoque.